Avançar para o conteúdo principal

Estigmata...Telhado de vidro: Escrutínio Das Bruxas? -Stigmata ... Glass roof: Scrutiny Of Halloween? -Stigmata ... Стеклянная крыша: проверку Хэллоуин? -


Nas observâncias do mundo que passa
Do cortinado corrido,na solidão dos semelhantes
De profanadas pálpebras...
O mistério da mudez indecifrável
E é nesse oceano de vagas,conscientes e subconscientes
Onde a razão e a emoção,ora digladiam-se
Ora agarram-se num fervilhante abraço,vamos caminhando...
Ou firmes em discretos estardalhaços,ou oscilantes no
alquebrado tormento,entre os mistérios do minuto,dos amanhãs que
Por vezes surpreende-nos com a beleza ou com a crueza
 com que se nos mostra os pedaços de todos os “eus”.
Assim somos e estamos nós a tribo dos bipolares
Que seguem...Sem bandeira,sem cocares,nessa Babel
que louva insensatos modismos descartáveis
E nós atados, ainda trovejamos soluços
N’uma sensibilidade latente a superfície da pele
Na envolvência do cérebro
Como se repentinamente estivesse sendo todo o ser
 sacudido para despertar o auto-dormitar
da inércia que às vezes por exaustão ou medo,
cai na  tolice de permitir-se ser aniquilado, natênue linha entre a vontade
e a permissividade do desgosto sem dimensão lógica,que tende a tomar conta de e do tudo.
É por isso que por vezes a profundidade de certas palavras
Tem o exímio poder de guiarem nosso espírito humano
para um patamar de consciência,que há certo tempo, não era mais acedido,
Dado que pela percepção de que em certa altura, é bastante difícil, segurar a objectividade da lucidez.

Urge!

Um momento da contemplação,o reflexo apurado das sensações
Quando calha, advem como forma de resgate,  a qual muito ajuda em instantes de reais necessidades extremas  de sabedoria e prudência  em cada  acto posto em prática.


Daí o livramento da forca,do escrutínio injusto do estigmata na fronte
Pendida. 


Enfim mais um caldeirão de aparente bruxas
Deitado já a tempo na correcta morada.


Por isso o eterno murmúrio das conciências
além da mera inteligência ignorante:

Cuida do teu Telhado de vidro
Antes que parta-te  a suja vergonha e fira-te
O morto brio...
Acto de quem  por descuido maguilhado
E negligente maldade ele ali o pôs


Ronilda David/Loubah Sofia – Alma Feita De Ti

Fotografia: Minha



  •  
    A perplexidade daqueles que, calados, enfrentam as agressões e malfeitorias dos que vivem enferneziando a vida dos seus semelhantes, esquecendo-se que têm os seus telhados de vidro.
     Por vezes caindo-lhes em cima. 
    Até ao despertar da lucidez e da força daqueles que sofrem tais agressões injustas e sem sentido, para dar lugar à força reativa da indignação. 
    Urge tomar posição firme contra os estigmas infundados, contra a inveja a maldicência a canalhice de caracteres frouxos e doentios.
     Parabéns pelo teu poema .





Mensagens populares deste blogue

sorridente, calada e persistente.

Era para ser ao contrário dessa fumaça, que assoprada ou mesmo inalada se vai... Era para ser volátil como um passe despercebido de mágica. Era para ser apenas alguns segundos de choro, de lágrimas vazias de alegrias, preenchidas de vis solidões Era para ter sido, mas nunca foi, pois sempre é... Essa dor corrupta, invasora, que desdenha da minha confusão por não compreender, as razões da vida em impor ela em mim, como carrasca sorridente, calada e persistente. Era para ser uma nesga do que passou e dormiu no tempo, mas vejo que é meu presente: Resistente, crítico e decadente.

Ronilda David in ‪#‎AQuânticadaestupidainteligência‬


Do hábito biscoitos d'açúcar

De pedaços de poesias 
Fiz uma nuvem de melodias 
No mundo de suaves revoadas 
Valsando em asas encantadas 

Nas palavras erguendo magias 
Dançando sons em rapsódias 
De paixões fragmentadas e fugidias 
Acolá, chegarei com outras histórias

Nos passos -  Carinho ao aconchegar 
Com doçura que imagina minha mente 
Meus sentidos se elevam  ao prestar 
Em compasso de superação finalmente! 

De Ti em mim sonhos... 
Infinitamente. 

Ronilda David in ‪#‎AQuânticadaestupidainteligência‬













Honradez

Honradez... Tua Manta De Diamantes
Amanheça Para a vida, Para o melhor quetem Respeita a aliança Acredite que adiante O real do que éseu legado Espera...
Amanheça Para a boa vontade de Dar as mãos E o perdão, compartilhar Os sonhos Os sorrisos O pão...
Amanheça E dê avocê, perdão Porque o erro reconhecido É acolhedor para a alegria Da humildade que afasta a tristeza ... E traz a esperança de que... Hoje, vai dar certo!