Avançar para o conteúdo principal

Sala WAF - Entrevistado : O Escritor e Poeta - Hélder Gonçalves



A poesia: Que significado tem na tua vida?

Quando, coloquei à vossa disposição e ao vosso escrutinio os meus trabalhos que, por entretenimento, ia deixando nos meus dois blogues, mal sabia eu que iria ser confrontado, um dia, com o vosso contacto, no sentido de saber se estaria interessado na publicação de um romance, da minha autoria, com o nome “O REFÚGIO

O que sentes pelo WAF?

Para responder à primeira pergunta, cabalmente e à segunda por inerencia, não poderei deixar de dar um breve apontamento da relação que passou a existir com o WAF, desde o primeiro contacto até ao presente, com a sua Direção.  Com efeito, foi através do WAF, que foi viabilizado o meu sonho, desde muitos anos, adormecido em mim.  Estou bastante agradecido por tal facto e no pragmatismo da sua atitude, enquanto editora.
Na minha inexperiencia, neste tipo de coisas, achei curiosa tal proposta e sem exitação abarquei o convite de imediato . Daí, numa rotina rápida, foi publicado o meu primeiro livro . Digo-vos, em abono da verdade, que foi uma sensação algo gratificante. Aquele prazer de termos, em nossas mãos, algo que escrevemos,  é demais!.  Foi, tanto ou tão pouco que, logo avancei, com um segundo livro “ORIGENS” Também correu tudo bem mas, desta vez, com mais satisfação da minha parte – havia mais experiencia, na organização do evento do lançamento, o que proporcionou a venda imediata de todos os livros em meu poder.  Ora bem, estava a nascer em mim o conceito que eu sabia escrever, que sabia escrever um livro!  A poesia, porém não estava ao meu alcance. Sentia-me bem no domínio da prosa e nunca pensei em escrever poesia , já que, entendia, não ser, essa a minha vocação

Qual o papel da Poesia na tua vida?

Houve neste percurso, um acontecimento determinante que, veio alterar, por completo, a minha posição, em relação à poesia e, até na minha vida pessoal.  Com efeito, uma vossa colaboradora, no campo da mediação, debruçou-se sobre os meus textos. Se me for autorizado, mencionarei aqui, o seu nome: Sofia Rodrigues. – ela, como aliás fazia e faz com todos os utilizadores do WAF, de uma maneira geral, incentivou-me, subtilmente, a continuar a escrever. Os seus comentários eram as muletas necessárias a esse incentivo, para não falar da sua excelente qualidade como poetisa e dos trabalhos  que apresentava, entretanto. Todos constatam essa sua condição. É um facto! – ela é uma referencia.
Foi, num contexto, de habituação diária pela sua presença que, de repente, tudo se alterou, em mim, pela súbita, silenciosa e inopinada ausencia, do xadrez do site, em que, ela, era una figura prestigiada, no seu acompanhamento de qualidade em que diariamente se movimentava. Então, foi nesse momento, que nasceu em mim, o primeiro poema que lhe foi dedicado “POEMA A SOFIA”
Talvez, mais por mérito da magia do seu nome do que da minha competencia, o facto é que , tal poema, tem merecido a atenção de uma larga faixa de pessoas interessadas na sua visita. Foi aqui que houve o clique – foi despertado em mim, um sentimento latente – o sentimento poetico e a necessidade  de extravasa-lo através da escrita . Não mais parei a partir de então, a partir do TAL POEMA A SOFIA, iria nascer, talvez , mais um poeta por grande inspiração da sua musa!

Fala-nos dos teus projectos futuros...

Tenho em mente, escrever um livro de contos. Mas em termos imediatos, está na forja o meu primeiro livro de poesia. Estou a apostar nele com entusiamo!  Estou numa altura da vida em que nâo se pode perder tempo. É demasiado valioso para desperdiça-lo.

Obras marcantes:

“IF” de Kipling

Fonte de Inspiração

António Gedeão, José Régio, Fernando Pessoa, Florbela Espanca

Filme Preferido

O Ditador

Canção preferida

Todas, com boa qualidade!
Com muita preferencia pelos “Scorpions”

Palavra que me define;

“Só quem não viveu, não tem histórias para contar”

Jantar perfeito:

Em boas companhias, num pequeno restaurante, com um bom serviço de mesa e uma apurada escolha de vinho a acompanhar um  prato de caça.

Entrevistado por:




Ex-Ricardo Texeira De Pinho
Poeta,cantor,editor e Proprietário das Editoras:
 Corpos e Poesia Fã Clube
Fundador do site:





Mensagens populares deste blogue

SPSA – Sindicato dos Pobres por Hélder Gonçalves

Hoje inscrevi-me no Sindicato dos Pobres
E dos Sem-Abrigo – Todos que sobrevivem
Na terra dos Párias – País da Democracia
Sem direito a voto – Cidadãos menos nobres
Contra o Estado - Patrões que tudo decidem
Luta pela melhoria da esmola – Ordem do Dia!
Quero memorizar a Carta dos Direitos Humanos
Aprender bem o significado da palavra Hipocrisia
Que direitos poderia ter se a Justiça funcionasse
Parlamento, Deputados - Tempo dos Romanos
Aqueles que se servem e aproveitam da Democracia
O vil dinheiro – Uma força que tudo isto alterasse.
Quero ir para a rua, descalço – esfarrapado
Com a plebe esfomeada e esquecida protestar
Cartazes - Palavras de ordem – Quanto baste
Punhos cerrados – Gritar, gritar não ficar calado
Contra os Algozes – Os Pilatos, a não quererem mudar
A riqueza, o conforto - Que deles jamais se afaste!


Hélder Gonçalves
Agosto 2016


Comentários João Francisco Lima Santos Bom dia!🌅
Helder Fernando Gonçalves BOM DIA a todos os sindicalistas do SP (Rsos!)
João Francisco Lima S…

Do hábito biscoitos d'açúcar

De pedaços de poesias 
Fiz uma nuvem de melodias 
No mundo de suaves revoadas 
Valsando em asas encantadas 

Nas palavras erguendo magias 
Dançando sons em rapsódias 
De paixões fragmentadas e fugidias 
Acolá, chegarei com outras histórias

Nos passos -  Carinho ao aconchegar 
Com doçura que imagina minha mente 
Meus sentidos se elevam  ao prestar 
Em compasso de superação finalmente! 

De Ti em mim sonhos... 
Infinitamente. 

Ronilda David in ‪#‎AQuânticadaestupidainteligência‬













Honradez

Honradez... Tua Manta De Diamantes
Amanheça Para a vida, Para o melhor quetem Respeita a aliança Acredite que adiante O real do que éseu legado Espera...
Amanheça Para a boa vontade de Dar as mãos E o perdão, compartilhar Os sonhos Os sorrisos O pão...
Amanheça E dê avocê, perdão Porque o erro reconhecido É acolhedor para a alegria Da humildade que afasta a tristeza ... E traz a esperança de que... Hoje, vai dar certo!