Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

A mostrar mensagens de Abril, 2015

As rugas do meu rosto - por Hélder Gonçalves

Junto ao mar, naquele dia, para mim olhaste: Viste um rosto já enrugado - envelhecido. Com ternura pegaste na minha mão, acariciaste. Em silencio adivinhei, pelo teu ar enternecido, As palavras que dirias mas, por amizade, calaste.
Não lastimes, nem pena, por tanto tempo vivido. Pela estrada da vida, com experiência que baste, Em mim, o amor sem paixão melhor será sentido, Numa apoteose de ternura, amizade sem desgaste Feliz estarei em fugaz desfrute, ao estar contigo!






Março 2012


O NOVO HOMEM - por Hélder Gonçalves

O NOVO HOMEM


No fim da grande escuridão, no princípio de tudo Brancas manhãs, onde agora as aves livres  voam Nasce novo Homem, ciclo que também se  repete Genuíno, em nudez, forte e inteligente sobretudo, Organizando-se em clãs, por determinismo povoam Sobre todos, Homo Sapiens, cósmica força os remete! , Nasce, outro Homem -  depois do zero e do nada Cataclismos havidos no planeta azul, na mãe Terra Guerras havidas - por elas, o Homem foi exterminado O Fim do Mundo - a extinção da era humanizada. Horrores passados, escuridão -  Tal catástrofe encerra, Para tudo, no fim, voltar de novo a ser continuado
A História  assim se repete –  em determinismo Cósmico Novo Homem aparecerá, em nova caminhada incumbida Pelas forças Universais -  expansões, espaços aleatórios: Lógica matemática, quântica, equações no campo atómico Inteligência viva -  grandiosa harmonia nele concebida O Homem finalmente sendo Deus, reinará  sem persecutórios !




Sentimentos - por Hélder Gonçalves

Sentimentos, de tantas formas se expressam Na palavra escrita – penso o que agora digo Um mundo de intenções, cada qual com a sua Poemas de razões  –  muitos se confessam Burilados, bonitos recortes - eu não consigo! Difícil é escancarar a alma – mostrá-la nua!
Escrever poema é comunicar com a palavra Fluir sentimentos – estados de alma, momentos Numa devassa sem limites – plena confissão! Força instintiva que num repente se agarra, Dominante, libertária, sem outros pensamentos
Que não sejam abrir a janela do nosso coração!



BOM TEMPO - por Hélder Gonçalves

Osol rompeu Sombrias nuvens. A alegria voltou- O aviso chegou: Bonança prometeu. Estados naturais, Tal como na vida Tal como sou: Sentimentos ao leu Como o tempo - Ora está calor, Ora está frio. Universo – o Céu, Tal como o rio corre Direito ao mar -  E, aí, se espraia Na grandeza alcançada Da longa caminhada Como este meu anseio: Em pensamento voando, Comigo me levando, Em louca correria P!ra junto da musa  A mulher amada!


Do Carmo
Junho 2012