Avançar para o conteúdo principal

Labirinto De Amor by Patrícia Pinna



Alegria não repousa mais aqui,desapareceu
Entre labirintos formados com o passar dos anos
E num plano bem hostil foi envenenando o que conheceu
Alma foi procurando reconquistá-la, mas refletiu-se em danos

De concreto é o labirinto,nem uma flor por entre suas pedras
Que não são mudas, falam entre si testemunhando o fracasso crescente
E num passo bem dorido observam toda a tristeza de trevas
Mudanças de luas, e um porvir nada benevolente

Queixumes que lhes tiram a vivacidade, o equilíbrio
E assuntos podem variar,resultando nas prisões
Carcereiros estão a espreitar, não querer libertar o brio
Dos que lutam para verem-se soltos e encontrar soluções

O verbo querer é estada quase inalcançável nesse sofrer, uma verdade
Repetida no inconsciente, trazida para o incrédulo consciente
E praticamente nada há de fazer, talvez, a necessidade
De reconhecer a imensa cratera aberta em peito onisciente 

E nesse sopro quase desfalecido, tentar sair do labirinto
Restaurar a alegria, domar o queixume, fazer o verbo querer acontecer
Ainda que na estada só exista uma única pessoa a sorver
O amor em si,poderoso caminho e único saudável recinto!



                                                                 Patrícia Pinna





Mensagens populares deste blogue

sorridente, calada e persistente.

Era para ser ao contrário dessa fumaça, que assoprada ou mesmo inalada se vai... Era para ser volátil como um passe despercebido de mágica. Era para ser apenas alguns segundos de choro, de lágrimas vazias de alegrias, preenchidas de vis solidões Era para ter sido, mas nunca foi, pois sempre é... Essa dor corrupta, invasora, que desdenha da minha confusão por não compreender, as razões da vida em impor ela em mim, como carrasca sorridente, calada e persistente. Era para ser uma nesga do que passou e dormiu no tempo, mas vejo que é meu presente: Resistente, crítico e decadente.

Ronilda David in ‪#‎AQuânticadaestupidainteligência‬


Do hábito biscoitos d'açúcar

De pedaços de poesias 
Fiz uma nuvem de melodias 
No mundo de suaves revoadas 
Valsando em asas encantadas 

Nas palavras erguendo magias 
Dançando sons em rapsódias 
De paixões fragmentadas e fugidias 
Acolá, chegarei com outras histórias

Nos passos -  Carinho ao aconchegar 
Com doçura que imagina minha mente 
Meus sentidos se elevam  ao prestar 
Em compasso de superação finalmente! 

De Ti em mim sonhos... 
Infinitamente. 

Ronilda David in ‪#‎AQuânticadaestupidainteligência‬













Honradez

Honradez... Tua Manta De Diamantes
Amanheça Para a vida, Para o melhor quetem Respeita a aliança Acredite que adiante O real do que éseu legado Espera...
Amanheça Para a boa vontade de Dar as mãos E o perdão, compartilhar Os sonhos Os sorrisos O pão...
Amanheça E dê avocê, perdão Porque o erro reconhecido É acolhedor para a alegria Da humildade que afasta a tristeza ... E traz a esperança de que... Hoje, vai dar certo!